Resoluções de 2014

Não sou muito dada a resoluções de fim de ano para o ano seguinte. Me conhecendo como me conheço, sei que não consigo seguir a maioria delas. Mas sou muito boa em ser perseverante quando enxergo os benefícios e resolvi fazer algumas coisas este ano para tentar botar ordem na minha vida. Vejo tantas dicas boas por aí, por que não segui-las, não é mesmo. 

Aprender a usar o Evernote

Eu nunca me dei bem com essa coisa, mas vejo tanta gente dizendo as mil maravilhas dele, de como é útil em ajudar a organizar a vida, que realmente me dei conta que isso está faltando para mim. Quero tentar digitalizar uma papelada básica, mas infelizmente eu ainda tenho muitas. Especialmente para quem estuda, fica difícil ler tudo na tela. Os olhos cansam, a cabeça dói e eu acabo imprimindo, o que é um deserviço, concordo. Imprimo tudo frente e verso, mas ainda assim…

Por isso, a primeira coisa que quero fazer é tentar me dedicar a destrinchar o Evernote e ver se boto ordem na bagunça.

Me reconciliar comigo mesma

Desde que meu relacionamento terminou que não consigo me perdoar… Não me perdoo por ter deixado essa pessoa entrar na minha vida, que já não anda fácil, para depois deixá-la detonar tudo. É como se eu tivesse uma salinha muito querida, onde eu guardava as coisas boas lá dentro, como sonhos, desejos, expectativas para o futuro. Essa pessoa entrou lá, depois de conquistar minha confiança e destruiu tudo, até o último caquinho virar pó.

Não tenho mais a menor intenção de reconstruir aquela sala. Eu fiz isso outras vezes. A sala foi diminuindo, tendo menos coisas, até chegar ao tamanho que eu tinha achado adequado para mim. Agora eu não tenho mais forças, simplesmente não tenho. Mas não posso viver com o sentimento de indignação que me acomete cada vez que penso no que aconteceu. Por isso, preciso me reconciliar comigo, me perdoar e seguir em frente. Sem ninguém, só eu.

Ler cem livros

Desde que adquiri um leitor de ebooks, minha vida de leitora melhorou maravilhosamente. Nunca li tanto como li em 2013. Para 2014 quero ler ainda mais. Estabeleci a meta de cem livros. Mas vamos se vou conseguir conciliar com a vida de estudante. Já leio o suficiente no mestrado para poder casar as leituras por puro prazer. Quero tentar me concentrar em personagens femininas e em ficção científica, mas anda tão difícil encontrar coisa boa ultimamente.

Coisa boa no sentido de livros que realmente prendem, com uma narrativa que o motiva a terminar o livro rapidamente. Eu já leio muito rápido, mais que a média, portanto não vejo problemas em estabelecer essa meta, mas encontrar bons livros, bem… aí é outro papo.

São metas modestas, mas metas que posso manejar melhor, metas com as quais posso me acostumar. Ler não é nenhum esforço e aprender a usar uma ferramenta não é difícil. A parte mais difícil vai ser me reconciliar comigo mesma. Isso eu realmente não sei como começar, nem quero começar. Mas eu tenho que fazer isso. Não posso viver me punindo. Sei que tive minha parcela de culpa em tudo o que aconteceu, mas realmente para mim deu. Não se brinca com os sentimentos das pessoas e depois age naturalmente.

Anúncios