Meu caro amigo vegano

Acho ótimo que a gente repense uma série de coisas a respeito da alimentação. Muita coisa que a gente come e consome está errada, há muita pressão da mídia sobre os costumes alimentares além de herança histórica que às vezes não condiz com o lugar em que as pessoas vivem. Um exemplo disso é o baixo consumo de peixe pela população brasileira, que tem 8500km de litoral e rios com peixes deliciosos, mas que ainda assim tem nojinho de peixe. Já ouvi merdas e mais merda por defender que o consumo de peixe deveria aumentar e vi gente dar piti feito criança pequena que comeu jiló.

O consumo de carne vermelha causa um estrago no meio ambiente. Além da flatulência dos rebanhos – não, não é piada – temos o problema do elevado consumo de água e de soja como ração. Grande parte da produção de soja dos países vai para alimentar rebanhos que depois serão abatidos. Isso encarece a carne em todas as esferas, fora o desmatamento para abrir pasto em áreas onde a floresta não pode se recuperar, tipo a Amazônia.

lisa-simpson

Bem, dito isso, eu quero falar com você, amigo, amiga, vegano, vegana. Eu tenho sim um problema com você, sabe por que? Ser vegano hoje é um luxo. Sim, você é privilegiada, sim, você pode se dar ao luxo de ficar 12 horas fazendo leite de castanha e gastando o triplo pra comprar queijo sem leite, sim, você tem que enxergar isso e parar de cagar regra no coleguinha.

Eu tentei ser vegetariana uma época e quase morri de fraqueza. A doida aqui tentou fazer por conta própria, sem auxílio de nutricionista, nem porra nenhuma e isso me fez muito mal. Ainda não tenho condições de remover a carne completamente do meu cardápio, mas pelo menos a carne vermelha teve uma redução significativa aqui na minha casa.

Se você é vegano tem que se dar conta que é um privilégio pra poucos. Porque a mãe suburbana que passa cinco horas no transporte público todos os dias, se ela consegue comprar meio quilo de bife pra por na mesa pra família, ela se sente uma abençoada, se sente no lucro.

Além disso, muitas famílias dependem do que a cesta básica traz e nela temos arroz, feijão, macarrão, biscoito, sardinha, não tem leite de castanhas e macarrão vegano com shimeji. A família suburbana é aquela que faz macarrão com salsicha num dia bom e arroz com ovo num dia ruim. É aquela que depende do biscoito da cesta pra mandar lanche pra criança, isso quando não depende exclusivamente da merenda da escola pras crianças comerem.

Tá errado? Quem é você pra dizer? Eu me preocupo sim com o bem estar animal, acho que já passou da hora de revermos nossos posicionamentos enquanto consumidores conscientes, mas eu NUNCA vou chegar na minha vizinha que depende de cesta básica e dizer pra ela “olha, filha, você tem que mudar seus hábitos por causa do planeta e dos animais, porque o abate é muito cruel com os seres vivos e…” Ela vai olhar pra minha cara e vai rir!

Outro dia minha mãe ficou admirada que na casa da Gisele Bündchen não entra uma cacetada de coisa: nada com glúten, nada com cafeína, produtos lácteos, com açúcar, fungos ou farinha branca de nenhum tipo. Ela também só come legumes, frutas e verduras orgânicas. Gente, só que ela é a Gisele, né? Que tem um chef à disposição pra fazer comida pra ela, pro marido e pros filhos. Eu não posso pagar ninguém pra fazer minha comida, nem limpar a minha casa.

Uma família suburbana também não. Você querer exigir que essa pessoa, geralmente uma mulher, mãe solteira, chefe de família, que trabalha, estuda, tem que cuidar dos filhos, da casa e pôr comida na mesa, passe 12 horas fazendo leite de castanha pra que VOCÊ se sinta melhor, é o CÚMULO DO EGOÍSMO. Já viu quanto custa um alimento orgânico, que nem sempre é orgânico, pra que essa família possa consumir? Não, você não viu, porque não pensa nisso e se não pensa nisso é porque tem dinheiro pra pagar por aquela bandeja de cogumelos orgânicos do norte da China.

Querer impor seu modo de vida e costumes alimentares em cima dos outros não é uma maneira legal de mostrar que os outros estão errados. Essas famílias quando podem ter uma saladinha na mesa é alface com tomate. Elas mal conseguem ir à feira com os preços nas alturas. O oportunismo anda tão grande com relação ao veganismo que já tem “água vegana”, onde o fabricante garante que ela está livre de “bactérias mortas”. MANO, PARA COM ESSA MERDA. O que vai ter amanhã?? Yakult sem lactobacilos vivos, que é pra acabar com a opressão??

Então, entenda essa merda de uma vez. Eu não estou questionando sua alimentação, nem suas escolhas, estou questionando seu posicionamento com relação à alimentação dos outros. Se você é vegano e é feliz, ótimo, que bom pra você, tudo de bom pra família, mas não vou permitir que veganos façam terrorismo sobre aqueles que não podem pagar pelo leite de castanhas ou pelo litrão de água sem bactérias. É cagação de regra demais em cima de gente que às vezes não tem nem o básico pra comer.

Anúncios