O que acontece quando você se descobre feminista?

Descobrir-se feminista é um exercício que não é muito fácil para muitas pessoas. Para algumas é simplesmente impossível, pois é preciso ter exercitado muita empatia para se afirmar como feminista e poucos sabem, podem ou querem fazer isso. Já para outras pode ser mais fácil, ou menos difícil, apesar de ser também um exercício.  Continuar lendo

Anúncios

Sobrenome do marido pode?

Tive recentemente uma discussão com uma amiga sobre essa questão. Adotar o sobrenome do marido quando se casasse. Feministas podem fazer isso, ela me perguntou? E eu disse que sim, claro! Eu não via problema. Mas a gente deve sim pensar sobre o assunto e decidir se quer ou não acrescentar o sobrenome. O que não devemos é aceitar que a vida é assim e pronto, acabou-se. Existe um motivo para as mulheres terem, por tanto tempo, adotado o sobrenome da família do marido. Continuar lendo

Marilyn Monroe, uma diva

Eu sempre achei Marilyn Monroe um exemplo ótimo de mulher. Assim como Cleópatra, criou-se uma aura ao seu redor de sedução fatal e pouca coisa se fala delas além disso. Mas Plutarco dizia que se Cleópatra entrasse em um ambiente, ninguém notaria sua beleza, pois ela não era visível, estampada em seu rosto. Sua beleza e sua força vinham de seu intelecto, de sua excelente capacidade de administrar um reino, por ser poliglota e a única da casa de Ptolomeu que se interessou em aprender os dialetos egípcios. Continuar lendo

Eu te disse adeus

Enfim, eu te disse adeus. Enfim, eu me desgarrei de você. Você era um mau hábito, você me prendia à uma corrente a qual eu achava que não poderia mais me soltar. Eu não podia ser eu, tinha que ser como você queria que eu fosse, como você queria que eu reagisse aos seus mandos e desmandos. Me libertei da sua ditadura fantasiada de “amor”.

Eu não lhe quero mal. Só quero que você viva e depois perceba a quantidade de merdas que fez. Eu não sou perfeita, sei que não sou, mas era muito difícil lidar com você. Eu realmente cansei com seu último piti, cansei com suas constantes inconstâncias. Você me disse que queria voltar no futuro, quando estivesse “pronto”. Mas adivinha? Você nunca estará pronto. Nunca. Isso não existe, “estar pronto”. Continuar lendo

Um beijo, uma noite e o que mudou?

Dia 31 de janeiro de 2014. A escrota e conservadora TV Globo exibe o último capítulo da novela Amor à Pica Amor à Vida. Niko e Félix, dois carismáticos personagens da trama dão um beijo esperado há meses, e no caso da comunidade LGBT uma vida inteira: ver a maior emissora do país exibir um beijo de um casal gay em horário nobre. Isso é um momento de reconhecimento, de que gays também são cidadãos e não carne de segunda como os homofóbicos insistem em colocar. Continuar lendo

Você não precisa ser religioso para ser bom

Aconteceu algo muito bacana hoje. Eu estava no Pão de Açúcar com minha mãe e sem querer trombei com uma senhora usando o uniforme dos varredores de rua. É um uniforme bem chamativo, talvez para própria segurança da mesma. Pedi desculpas, e ainda brinquei que era tanta coisa gostosa na gôndola de doces que a gente nem sabia o que escolher. Mas ela estava com calor. O sol às 15hs estava de doer e ela se refugiu uns instantes dentro do mercado para pegar o ar condicionado.

Enquanto minha mãe parou no caixa para pagar, eu parei na frente do freezer de sorvetes italianos que o mercado têm. E pensei, vou levar um para a senhora da varrição. Está muito quente. Ninguém merece trabalhar embaixo do sol forte sem ao menos um refresco, uma pausa no dia para algo gostoso. Peguei o meu e o dela, passei os dois, e enquanto as compras eram embaladas, eu levei para ela do lado de fora. Continuar lendo