Meu caro amigo vegano

Acho ótimo que a gente repense uma série de coisas a respeito da alimentação. Muita coisa que a gente come e consome está errada, há muita pressão da mídia sobre os costumes alimentares além de herança histórica que às vezes não condiz com o lugar em que as pessoas vivem. Um exemplo disso é o baixo consumo de peixe pela população brasileira, que tem 8500km de litoral e rios com peixes deliciosos, mas que ainda assim tem nojinho de peixe. Já ouvi merdas e mais merda por defender que o consumo de peixe deveria aumentar e vi gente dar piti feito criança pequena que comeu jiló. Continuar lendo

Por que usar bindi não é apropriação cultural?

Fiquei bolada outro dia com várias fotos da Selena Gomez usando bindi o tempo inteirinho. São fotos de um tempinho já, mas ela usava nos shows, na rua, em eventos, em tudo. E disseram que ela tava de apropriação cultural. Apropriação cultural é quando as pessoas se apropriam, por exemplo, de símbolos religiosos – geralmente gente branca, tá – e usam cotidianamente. Existe um significado por trás de um cocar indígena ou de um turbante tipicamente dos países da África. E se apropriar deles é feio, fruto de privilégio branco, de gente mal educada mesmo. Continuar lendo

Não, eu não quero poliamor

Hoje em dia poliamor, poliamorismo, tá bem na moda. Sim, devemos questionar instituições ultrapassadas e que trazem problemas e sofrimentos, devem rever privilégios e posicionamentos, devemos olhar o mundo e ver que nossos gostos e nossas formas de vida não são sempre a mais correta. Devemos sim questionar muita coisa. Continuar lendo

Pra que escrever uma cena de estupro?

Game of Thrones é uma série que nunca consegui assistir, apesar de ser bem fã dos livros. Adoro os livros, li todos, tenho os livros físicos mesmo, tijolões, na estante. Mas a série, por suas diversas modificações com relação aos livros me desagradou imensamente. E me desagradou ainda mais quando os putos dos roteiristas ou o caralho que for que comandam aquela merda, resolveram mudar cenas de sexo consensual nos livros para cenas de estupro em seus episódios. Pronto, foi a gota que faltava.  Continuar lendo