Meu caro amigo vegano

Acho ótimo que a gente repense uma série de coisas a respeito da alimentação. Muita coisa que a gente come e consome está errada, há muita pressão da mídia sobre os costumes alimentares além de herança histórica que às vezes não condiz com o lugar em que as pessoas vivem. Um exemplo disso é o baixo consumo de peixe pela população brasileira, que tem 8500km de litoral e rios com peixes deliciosos, mas que ainda assim tem nojinho de peixe. Já ouvi merdas e mais merda por defender que o consumo de peixe deveria aumentar e vi gente dar piti feito criança pequena que comeu jiló. Continuar lendo

Hoje eu quero falar da minha amiga

Hoje eu quero falar da minha amiga Deise*. Deise e eu nos conhecemos desde o jardim de infância. Depois fomos para o mesmo colégio católico, na mesma série. Íamos e voltávamos na mesma perua escolar porque morávamos no mesmo bairro. Éramos amiguinhas inseparáveis, daquelas de ir na festinha de aniversário uma da outra, de comer o lanche no recreio juntas.  Continuar lendo

Eu te disse adeus

Enfim, eu te disse adeus. Enfim, eu me desgarrei de você. Você era um mau hábito, você me prendia à uma corrente a qual eu achava que não poderia mais me soltar. Eu não podia ser eu, tinha que ser como você queria que eu fosse, como você queria que eu reagisse aos seus mandos e desmandos. Me libertei da sua ditadura fantasiada de “amor”.

Eu não lhe quero mal. Só quero que você viva e depois perceba a quantidade de merdas que fez. Eu não sou perfeita, sei que não sou, mas era muito difícil lidar com você. Eu realmente cansei com seu último piti, cansei com suas constantes inconstâncias. Você me disse que queria voltar no futuro, quando estivesse “pronto”. Mas adivinha? Você nunca estará pronto. Nunca. Isso não existe, “estar pronto”. Continuar lendo

Obrigada 2013, por acabar

Enfim, 2013 está acabando. Aconteceu tanta coisa neste ano… Coisas boas, coisas ruins, coisas horríveis. Fico feliz por ter tido sucesso em algumas coisas, mas em outras… Especialmente quando aquela pessoa que amamos mostra uma face que você desconhecia e você percebe que está refém de um sentimento que antes era necessário para continuar vivendo.

Eu nunca fui aquela mulher por quem as cabeças viram. Mas tive minha cota de abusos, assédios e isso me fez ter o pé atrás quando o assunto são relacionamentos. Mais tive decepções do que sucessos e por muito tempo não quis ninguém ao meu lado. Sentia falta de carinho, de beijo, de sexo, de ter alguém com quem conversar, de ter companhia num cinema, mas seguia minha vida estéril sem reclamar muito. Continuar lendo

Todo mundo já machucou alguém

Todo mundo, bom, mau ou indiferente, por alguma razão, já machucou outra pessoa. De propósito ou não, a gente acaba machucando as pessoas, sendo machucado, fica em crise e depois se arrepende. Ou não também. Já machuquei pessoas de propósito e não me orgulho disso, mesmo que na hora tenha valido à pena o sentimento de sangue “nozóio”.

Com o tempo eu percebi que de nada adianta ceder a estes impulsos sadomasoquistas e detonar uma pessoa apenas porque eu podia fazer aquilo. Ninguém era obrigado a aguentar minhas crises e tampouco ficar quieta enquanto eu a massacrava. Ninguém tinha nada a ver com o meu mau humor e com o tempo eu fui percebendo que este tipo de comportamento só prejudicava a mim mesma.

Continuar lendo