A mulher e o cabelo – uma relação de servidão

Eu ligo muito pouco para comprimento do cabelo. Gosto de mantê-lo limpo e hidratado, mas não tenho medo de cortar. Se tive, foi quando criança, afinal criança costuma ter medo de tudo. Na época, achava que o único cabelo possível era comprido e ponto final. Acho também que foi a única época em que o deixei tão grande, porque aos 12 anos ele estava na altura do queixo e 22 anos depois não passa do ombro, momento em que já me enerva e mando cortar. Continuar lendo

Resoluções de 2014

Não sou muito dada a resoluções de fim de ano para o ano seguinte. Me conhecendo como me conheço, sei que não consigo seguir a maioria delas. Mas sou muito boa em ser perseverante quando enxergo os benefícios e resolvi fazer algumas coisas este ano para tentar botar ordem na minha vida. Vejo tantas dicas boas por aí, por que não segui-las, não é mesmo.  Continuar lendo