Não, eu não quero poliamor

Hoje em dia poliamor, poliamorismo, tá bem na moda. Sim, devemos questionar instituições ultrapassadas e que trazem problemas e sofrimentos, devem rever privilégios e posicionamentos, devemos olhar o mundo e ver que nossos gostos e nossas formas de vida não são sempre a mais correta. Devemos sim questionar muita coisa. Continuar lendo

Ex-amigos

Eu não tenho muitos amigos. Amigas então, pior ainda. Por essa razão não tenho também muitos ex-amigos, mas tem um caso em particular que merece menção. Assim como temos ex-namorados, ex-sogras, ex-chefe, acho que devemos ter o direito de ex-amigos. Ninguém é obrigado a ter que conviver com alguém que te magoa e te faz de trouxa.

Continuar lendo

Pra que escrever uma cena de estupro?

Game of Thrones é uma série que nunca consegui assistir, apesar de ser bem fã dos livros. Adoro os livros, li todos, tenho os livros físicos mesmo, tijolões, na estante. Mas a série, por suas diversas modificações com relação aos livros me desagradou imensamente. E me desagradou ainda mais quando os putos dos roteiristas ou o caralho que for que comandam aquela merda, resolveram mudar cenas de sexo consensual nos livros para cenas de estupro em seus episódios. Pronto, foi a gota que faltava.  Continuar lendo

Comentando como homem

É engraçado como as coisas são, né? Nos últimos eu tenho evitado todo o tipo de confronto, porque eu não sou obrigada a aguentar essa merda, todo esse chorume, todo esse ódio generalizado. Resolvi então fazer um teste e criei um nome masculino qualquer, um email qualquer e comecei a comentar como homem em portais e blogs. E venho fazendo isso nos últimos 3 meses.  Continuar lendo

Estado Islâmico é cria dos Estados Unidos

Vi essa interessante entrevista de Noam Chomsky no mesmo momento em que passava a reportagem sobre a destruição de obras da civilização assíria no Iraque. O Estado Islâmico é algo tão brutal, tão misógino, tão cruel, que me intriga como esse tipo de gente pode existir. É então que Chomsky nos explica o que está acontecendo e como a coisa chegou a esse ponto. Não traduzi a entrevista inteira, pois ela trata também de Israel e Iêmen, mas você pode ler aqui.
Continuar lendo