8 de Março

Esse 8 de Março foi o mais politizado que já vi. E olha que já vi uns bons 8 de marços antes na vida pra saber que esse foi diferente. Teve um Q a mais. Vi muitos caras conscientes em suas posições os suficiente pra não mandar porra de mensagenzinha de flor. Vi muita mina se organizando e criando campanhas, vi o jornal da minha cidade falar que “lugar de mulher é onde ela quiser” e depois falar das estatísticas de violência, da diferença salarial, da percepção de parte da população de o que é ser mulher. Sério, eu nunca vi isso quando era adolescente nos anos 90.

Continuar lendo

Anúncios

Meu caro amigo vegano

Acho ótimo que a gente repense uma série de coisas a respeito da alimentação. Muita coisa que a gente come e consome está errada, há muita pressão da mídia sobre os costumes alimentares além de herança histórica que às vezes não condiz com o lugar em que as pessoas vivem. Um exemplo disso é o baixo consumo de peixe pela população brasileira, que tem 8500km de litoral e rios com peixes deliciosos, mas que ainda assim tem nojinho de peixe. Já ouvi merdas e mais merda por defender que o consumo de peixe deveria aumentar e vi gente dar piti feito criança pequena que comeu jiló. Continuar lendo

Por que usar bindi não é apropriação cultural?

Fiquei bolada outro dia com várias fotos da Selena Gomez usando bindi o tempo inteirinho. São fotos de um tempinho já, mas ela usava nos shows, na rua, em eventos, em tudo. E disseram que ela tava de apropriação cultural. Apropriação cultural é quando as pessoas se apropriam, por exemplo, de símbolos religiosos – geralmente gente branca, tá – e usam cotidianamente. Existe um significado por trás de um cocar indígena ou de um turbante tipicamente dos países da África. E se apropriar deles é feio, fruto de privilégio branco, de gente mal educada mesmo. Continuar lendo

Por que How To Get Away With Murder é um marco para a televisão?

Só comecei a assistir essa série por causa da Viola Davis, minha cura hetero. Sempre a admirei, tanto como atriz como pessoa e ao ver que ela seria a protagonista desta série, que não costuma fazer muito meu estilo, resolvi arriscar e assistir. Quem não assiste e procura uma trama inteligente para ver, com diversidade e representatividade, por favor, não perca nenhum episódio desta série que é maravilhosa. Continuar lendo